segunda-feira, 6 de outubro de 2014

SEPARATISMO,... PETISTA COMO IGNORANTE,... COM DILMA “GORDINHA” --- CONCEITOS EQUIVOCADOS, RACISTAS E DESAGREGADORES... É A TUCANADA DO PSDB: FHC TEM A OBRIGAÇÃO DE RESPEITAR A REPRESENTANTE DA REPÚBLICA, PORQUE ENQUANTO ELA DEFENDIA NOSSO PAÍS DE UM GOLPE MILITAR, ENFRENTANDO ARMAS E TORTURAS, ESSE EX, SORRATEIRAMENTE FUGIA PARA O CHILE...


FCO.LAMBERTO FONTES
 JORNALISMO INTERATIVO
 em ARAXÁ / MG.

1 página - 15 grupos|262.591 visualizações


 06/10/2014

COLUNISTA PRÓ-AÉCIO PROPÕE SEPARATISMO

O jornalista Paulinho Navarro, colunista social do jornal O Tempo, publicou um post, em sua página no Facebook, defendendo a divisão do Brasil; segundo ele, a presidente Dilma Rousseff deveria ficar com o Norte e o Nordeste, com "patrocínio da Friboi e seus preguiçosos eleitores bolsistas"; na outra parte, o Sul e o Sudeste, ficariam Aécio e os "trabalhadores esclarecidos", colocando lenha na produção do País; nesta segunda-feira, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso também alimentou o preconceito contra o Norte e Nordeste,
associando eleitores petistas à falta de informação

247 - Um colunista social de Minas Gerais, o jornalista Paulinho Navarro, do jornal O Tempo, publicou uma nota em que expressa preconceito em relação ao Norte e Nordeste. No texto, ele propõe a divisão do País.

Assim, a presidente ficaria com as duas regiões, com "patrocínio da Friboi e seus preguiçosos eleitores bolsistas".

Por outro lado, o Sul e o Sudeste ficariam com Aécio e os "trabalhadores esclarecidos, colocando lenha na produção do País".

Nesta segunda-feira, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso também destilou preconceito. "O PT está fincado nos menos informados, que coincide de ser os mais pobres. Não é porque são pobres que apoiam o PT, é porque são menos informados", disse ele, em entrevista ao portal Uol 

FHC INSULTA ELEITOR

E VÊ PETISTA COMO

IGNORANTE

Com a passagem do senador Aécio Neves para o segundo turno, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso desandou a falar e, se continuar na mesma toada, poderá causar danos à candidatura tucana; à jornalista Sonia Racy, do Estado de S. Paulo, ele afirmou que a "presidente Dilma não é pobre, está gordinha"; agora, ao colunista Josias de Souza, do portal Uol, afirmou que o eleitor petista é "menos informado"; eis sua declaração: "O PT está fincado nos menos informados, que coincide de ser os mais pobres. Não é porque são pobres que apoiam o PT, é porque são menos informados", afirmou

247 - O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso pode causar danos à candidatura do senador Aécio Neves (PSDB-MG), caso continue a dar entrevistas no ritmo que tem feito.

Ontem, à jornalista Sonia Racy, ele afirmou que esta não será uma disputa entre pobres e ricos, porque a presidente Dilma Rousseff "não é pobre, está gordinha"

Agora, em entrevista aos colunistas Josias de Souza e Mario Magalhães, do portal Uol, ele insultou eleitores que votaram no PT, associando-se à ignorância.  

"O PT está fincado nos menos informados, que coincide de ser os mais pobres. Não é porque são pobres que apoiam o PT, é porque são menos informados", disse ele.

"Essa caminhada do PT dos centros urbanos para os grotões é um sinal preocupante do ponto de vista do PT porque é um sinal de perda de seiva ele estar apoiado em setores da sociedade que são, sobretudo, menos informados", disse FHC.

"Geralmente é uma coincidência entre os mais pobres e os menos qualificados."

Embora Aécio tenha vencido em São Paulo, perdeu em estados importantes do Sul e Sudeste, como Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul – e não apenas no Norte e Nordeste.

Depois do deslize, FHC também falou de uma possível aliança com a ex-senadora Marina Silva. "Vamos discutir quais os pontos que podem permitir uma aproximação efetiva", acrescentou.



FHC:

‘DILMA ESTÁ GORDINHA, 

BEM DE VIDA, NÃO É POBRE’

Ex-presidente apela ao responder sobre como o PSDB está se preparando para um provável discurso do PT no segundo turno, de ricos contra pobres: "Em primeiro lugar, olha a Dilma: ela é pobre? Ela não foi educada no Colégio Sion? Ela não está gordinha, bem de vida? E isso é contra ela? Não é. O importante é saber qual a posição da pessoa frente à pobreza", disse; tucano defendeu ainda que o PSDB "fez a políticas sociais do Brasil" e que, depois de realizar ajustes fortes" e acabar com a inflação, contribuiu para que caísse a pobreza

247 – Depois de Marina Silva (PSB) se comparar a um carapanã (mosquito de constituição frágil e pequena), enquanto a presidente Dilma Rousseff seria um mangangá (zangão gordo e de ferroada potente), agora é a vez de o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso dizer que a petista é "gordinha".

Questionado sobre como o PSDB estaria se preparando para o discurso do PT no segundo turno, de ricos contra pobres, FHC respondeu: "Em primeiro lugar, olha a Dilma: ela é pobre? Ela não foi educada no Colégio Sion? Ela não está gordinha, bem de vida? E isso é contra ela? Não é. O importante é saber qual a posição da pessoa frente à pobreza". 
As declarações foram dadas durante almoço neste domingo na casa do vereador Andrea Matarazzo. FHC estava acompanhado da mulher, Patrícia Kundrát.
Em entrevista à coluna de Sonia Racy, no Estadão, o tucano defendeu ainda que o PSDB "fez a políticas sociais do Brasil" e que, depois de realizar ajustes fortes" e acabar com a inflação, contribuiu para que caísse a pobreza. 
Ele também justificou a vitória de Geraldo Alckmin em São Paulo: "Quem é que vota no Geraldo? São os ricos? Tem tanto rico assim? Isso é uma invenção, querem colocar essa marca em nós", disse.
Segundo FHC, a estratégia do PSDB para o segundo turno é "mostrar as diferenças entre os partidos". "Há uma diferença na visão do que é o Brasil e como é que nós queremos um Brasil melhor", afirmou. 
Questionado se não haveria espaço para a "nova política", pregada por Marina, o tucano declarou que ela "não ficou caracterizada".
"Eu vi a Marina falando: 'São modos corretos de se fazer política'. Eu concordo, mas não é sem partido que se faz isso. Dava a impressão de que essa nova política implicava em não haver partidos. Isso não pode, na democracia tem de haver partidos. 
Agora, que os partidos precisam se comportar de forma mais correta, disso não há dúvida. Marina não conseguiu nos mostrar isso claramente", opinou FHC.