quarta-feira, 1 de junho de 2016

OS LESA PÁTRIA - LENHA PURA NA FOGUEIRA - NÃO SE INCOMODAM SE A REVOLTA VIER E ACONTECER, ATÉ COM VÍTIMAS INOCENTES... DESTA VEZ AÉCIO E ANASTASIA CONTINUARÃO SOB PROTEÇÃO DO MINISTRO GILMAR MENDES???



FCO.LAMBERTO FONTES
Trabalha em JORNALISMO INTERATIVO
Mora em ARAXÁ/MG

1 blogspot, + 1 página no facebook, + de 90 grupos no facebook, + twitter,
+ de 930 blogs e comunidades no google+, + de 420 conexões no LinkedIn. 

  517.630 visualizações em 41 meses 

30 de Maio de 2016



Altamiro Borges

Pacote de maldades 
incendiará o país

Se for realmente levado à pratica, o pacote econômico anunciado nesta semana pelo golpista Michel Temer e por seu ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, deverá rapidamente convulsionar o Brasil.
No seu conjunto, as medidas visam enfrentar a atual crise com um brutal arrocho dos trabalhadores e das camadas médias da sociedade para elevar os lucros dos capitalistas, principalmente dos rentistas.
A alta burguesia, que orquestrou o golpe e manipulou os "midiotas", ficará com o bônus; já a ampla maioria da população entrará com o ônus.
Só que o pacote de maldades é tão perverso que até setores das elites já temem uma explosão de revoltas nos próximos meses.
A velha luta de classes, que alguns pragmáticos imaginavam ter acabado, pode atrapalhar a ambição dos golpistas.
Entre outras maldades, o pacote prevê a criação de um teto para os investimentos na educação, saúde, previdência e seguridade social.
A medida fere a própria Constituição Federal, que fixou regras para a destinação de recursos públicos a estes serviços essenciais ao bem-estar da população.
O objetivo do retrocesso é eliminar as atuais vinculações obrigatórias de gastos. Caso a crueldade do Judas Temer já estivesse valendo no país, os gastos de 2015 com estas áreas vitais para a sociedade teriam sido de R$ 600,7 bilhões, cerca de metade do R$ 1,16 trilhão contabilizado no período.
Os resultados, evidentes, seriam mais filas nos hospitais, menos estudantes nas salas de aula e outras tragédias sociais.
Na entrevista em que anunciou o pacote, o Judas Michel Temer argumentou que "as despesas do setor público estão em trajetória insustentável".
Daí a urgência da maldade! O capacho dos rentistas nada falou sobre os gastos exorbitantes com juros da dívida pública, que enriquecem o 1% dos ricaços que vive da especulação financeira.
A "austeridade fiscal", tão em moda na Europa devastada, atingiria somente os assalariados e camadas médias da sociedade.
Na ocasião, o ministro Henrique Meirelles, queridinho do "deus-mercado", também anunciou que estuda mecanismos para reduzir a carga tributária dos grandes empresários e especuladores.
Aumento da idade para se aposentar
Além da fixação do teto para os gastos na saúde e na educação, o "presidente interino" reafirmou que pretende fazer uma "profunda" reforma da Previdência Social.
Em várias entrevistas, o seu desbocado ministro antecipou que o objetivo seria impor a idade mínima de 65 para a aposentadoria - inclusive para quem já está prestes a se aposentar.
Como a iniciativa é explosiva, com efeitos devastadores na própria sustentação do governo golpista e nas eleições deste ano, o setor mais "político" do Planalto evita tratar do tema. Segundo uma notinha marota da Folha, "o governo já tranquilizou a sua tropa de choque no Congresso: só apresentará a reforma da Previdência depois das eleições municipais".
Também já está no forno a proposta que prevê extinguir os direitos fixados na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) - como férias, 13º salário, adicionais, entre outras conquistas históricas.
A ideia é ressuscitar uma proposta derrotada do triste reinado de FHC, que previa a prevalência do negociado sobre o legislado. Na entrevista da semana passada, Michel Temer tocou de leve no assunto - também inflamável.
Ele, porém, não vacilou em anunciar o fim da política de valorização do salário mínimo, que foi criada por pressão do movimento sindical num acordo firmado com o ex-presidente Lula.
A chamada "desindexação do salário mínimo" já havia sido antecipada por Henrique Meirelles num convescote com "investidores" em Nova York, segundo revelou a revista Época.
Entrega do pré-sal e outros atentados à soberania
Além destas medidas descaradamente antipopulares, o Judas Temer também anunciou várias ações contra o Estado nacional.
"O presidente interino destacou que apoiará projeto aprovado pelo Senado que altera as regras de exploração de petróleo do pré-sal, retirando da Petrobras a exclusividade das atividades e acabando com a obrigação da estatal a participar com pelo menos 30% dos investimentos em todos os consórcios de exploração da camada.
O projeto, de autoria do senador tucano José Serra, passou pelo Senado e será avaliado pela Câmara Federal", descreveu, excitado, o entreguista Estadão.
A mídia colonizada festejou ainda a decisão de utilizar os recursos do Fundo Soberano, de acelerar o processo de privatização das estatais e de descapitalizar o BNDES.
A apresentação do pacote de maldades alegrou o chamado "deus-mercado", que exigia medidas duras e imediatas dos seus serviçais no assalto ao Palácio do Planalto.
Ela também foi festejada pela mídia rentista, que já tenta embelezar a sinistra figura do Judas Michel Temer.
O entusiasmo dos golpistas, porém, é contido.
Eles temem que o pacote de maldades gere forte desgaste para o "novo" governo e incentive a ampliação dos protestos de rua.
À questão democrática se juntaria a defesa dos direitos ameaçados. Há temores, inclusive, de que uma massiva onda de protestos reverta os votos no Senado no julgamento do "mérito" do impeachment de Dilma, previsto para setembro.
Tudo indica que o país viverá momentos de forte tensão social.
Os efeitos deste incêndio são imprevisíveis! 

1 de Junho de 2016

ALTAMIRO BORGES

Presidiário tucano

vai delatar Aécio?


A prisão de Nárcio Rodrigues nesta segunda-feira (30) está agitando Minas Gerais.
Homem da inteira confiança de Aécio Neves no passado (como fica evidente na declaração de amor do vídeo abaixo), o atual presidiário parece que andou se estranhando com os aspones do cambaleante chefão do PSDB.
Há rumores de que ele poderia abrir o longo bico e delatar alguns tucanos - e uma famosa tucana -, revelando os podres das gestões de Aécio Neves e Antonio Anastasia.
Caso não seja beneficiado pela conhecida generosidade da Justiça e permaneça muito tempo na cadeia - sua detenção preventiva é de cinco dias -, ele até pode decifrar um enigma que angustia a nação: quem "comeu" Aécio Neves?
Nárcio Rodrigues é um tucano de alta plumagem e conhece bem as maracutaias do PSDB em Minas Gerais.
Ele foi presidente estadual do partido, deputados federal por cinco mandatos, ex-secretário do governador Antonio Anastasia e coordenou as duas últimas campanhas da sigla ao governo mineiro.
De quebra, ajudou a eleger seu filho, o cínico Caio Nárcio, para deputado federal.
Sua desgraça teve início quando o empresário português Firmino Rocha afirmou em delação premiada que pagou R$ 1,5 milhão em propina por uma obra superfaturada no Estado.
Segundo o delator, parte deste suborno foi destinado ao financiamento ilegal das campanhas eleitorais do PSDB.
Na época do roubo, Nárcio Rodrigues ocupava o cargo de secretário de Ciência e Tecnologia do governador Antonio Anastasia.


video

Ainda segundo o delator, os recursos públicos foram desviados na construção do centro de pesquisa mineiro "Cidade das Águas". Parte da grana teria sido remetida a um paraíso fiscal de Hong Kong, em 2014. Firmino Rocha revelou que a propina foi paga para que o Grupo Yser, um dos maiores de Portugal, fosse beneficiado em contrato superfaturado no esquema de aquisição de material para a "Cidade das Águas", projeto da Fundação Hidroex sediado em Frutal, cidade de Nárcio Rodrigues e sua base eleitoral. 
De acordo com a Controladoria-Geral de Minas Gerais, os equipamentos foram comprados sem licitação e com superfaturamento de R$ 3,8 milhões. Apesar de terem sido pagos, os equipamentos nem foram entregues, gerando prejuízo de R$ 8 milhões ao governo do Estado.
O curioso nesta sujeirada toda é a postura dos tucanos mineiros. Aécio Neves, o cambaleante, sumiu. Talvez tenha se exilado no Leblon (RJ). Já o PSDB divulgou uma nota lacônica, argumentando que desconhece os detalhes das investigações, e lavando as penas: "Se houver indícios de irregularidades, eles devem ser apurados pelos órgãos competentes... Havendo a comprovação de crimes é necessária a punição". A postura mais estranha, porém, foi a da chamada "Turma do Chapéu", o grupo de jovens que mantém íntimas ligações com Aécio Neves e com sua poderosa irmã, Andrea Neves.
Em seu site, os tucaninhos aproveitaram para fustigar o presidiário. "Nárcio Rodrigues foi presidente do PSDB-MG, comandou a desastrosa campanha de Pimenta da Veiga ao governo do estado e deixou o mandato contribuindo para a eleição de seu filho para a Câmara Federal. Mesmo sem mandato, o ex-deputado mantém cargos indicados por ele na prefeitura de Belo Horizonte". Pelo jeito, as bicadas sangram no ninho tucano.
Será que o presidiário e seu cínico filho, que homenageou a "decência" do pai ao votar pelo impeachment de Dilma, vão se vingar?
Quem vai "comer" Aécio Neves?