sábado, 12 de julho de 2014

SEJA CONSCIENTE... LEIA, ASSISTA E COMPARTILHE, O QUE REALMENTE O BRASILEIRO TEM DE COMPREENDER E APRENDER, ... COMO ESCOLHER E COMO VOTAR NAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES E TENTARMOS MODIFICAR ESTA SITUAÇÃO POLÍTICA QUE VIVENCIAMOS, QUE NOS INCOMODA E SEMPRE RECLAMAMOS:

DICAS PARA VOTAR EM 2014 
(Parte 1)

As eleições estão chegando.

Lembre-se que nestas eleições você vai votar para Presidente, Governador, deputado federal,  senador, deputado estadual e deputado distrital, para quem mora no DF.
O pleito ocorrerá no dia 05/10, no primeiro turno, e o segundo turno será no dia 26/10.
Durante alguns meses, os enfadonhos Horários Políticos mostrarão os candidatos pedindo o seu voto. Muitos farão promessas e outros ainda contarão os seus feitos como políticos eleitos em pleitos anteriores, ainda que estejam mentindo.

OPS – Operação Política Supervisionada – criou quinze dicas para quem vai votar este ano. O objetivo é conscientizar os eleitores para a responsabilidade que existe no ato de votar.

Nós não acabaremos com a corrupção e nem criaremos um cenário maravilhoso em nossa política, mas estaremos dando um passo importantíssimo para que cheguemos mais perto disto.

No vídeo abaixo eu (Lúcio Big) explico sete das quinze dicas. As oito restantes estão publicadas mais abaixo.

Resumidamente, as sete dicas são:

1ª Dica – Descobrir quem são os candidatos que me pedirão votos

Não é possível que você escolha o melhor dentre tantos, sem antes saber que são os candidatos que estão concorrendo a cada um dos cargos.

2ª Dica – Não confie em Promessas Mirabolantes

Quem tem boca fala o que quer e muitos políticos sabem disso. Prometer “mundos e fundos” é muito fácil, mas transformar promessas em realidade é uma tarefa extremamente difícil. Portanto, quem promete demais ou quem faz promessas “incumpríveis” não deve merecer o seu voto.

3ª Dica – Marketing Político. Não confie totalmente.

Ninguém vende um produto mostrando as desvantagens dele. Da mesma forma, nenhum político vai dizer os seus podres e vícios. Portanto, a publicidade partidária deve ser vista com extrema cautela.

4ª Dica – Não confie nas Pesquisas de Intenção de Votos

Muitos defendem essas pesquisas dizendo que elas indicam a preferência de voto de toda uma região. Ainda que fosse verdade, a sua escolha não deve se basear na “preferência” da maioria. O voto é seu e a sua consciência é que deve definir quem é merecedor dele.

5ª Dica – Em favor de quem devo votar?

Por mais difícil que seja para muitas pessoas, em decorrência da nossa cultura, a escolha do candidato não deve ser feita apenas para atender os próprios desejos. A coletividade deve ser posta em primeiro lugar.

6ª Dica – Investigar a Vida Pregressa

O passado de uma pessoa pode condená-lo, mas isso não é uma regra. Entretanto, saber um pouco mais do passado de seus candidatos é fundamental para a sua decisão final. A internet está recheada de informações da maioria dos candidatos deste pleito, e tirar um tempo para ler estas informações é primordial. Entretanto, procure diversificar as fontes de informação para não correr o risco de seguir a tendência de um único veículo de comunicação.

7ª Dica – Como Investigar o passado de um político?

Apesar da “Ficha Limpa”, muitos podem conseguir liminares que lhes darão direito a concorrerem nas eleições. Portanto, dar uma “vasculhada” nos portais da Justiça brasileira é fundamental.

Para deputados estaduais e governadores que estejam tentando a reeleição, acesse o site do STJ para ver se há algum processo contra estes e sobre o que estão sendo acusados.

Para deputados federais, senadores e presidente da república tentando a reeleição, acesse o site do STF para fazer a mesma verificação.

Para os demais, acesse os sites dos Tribunais de Justiça do estado (www.tjESTADO.jus.br). Ex.: Para o Rio de Janeiro, acesse www.tjRJ.jus.br. Para São Paulo, www.tjSP.jus.br). Para Alagoas, www.tjAL.jus.br, Para MINAS GERAIS acesse www.tjMG.jus.br. e assim por diante.

Além disso, dê uma verificada no site do TRF.

Mas, atenção! Considere apenas os processos em que estes sejam Réus e ainda, réus em processos como pensão alimentícia ou cobrança de dívida não podem ser vistos como “inelegíveis” por você.

 

O discernimento é fundamental nesta hora.

Estas são as sete das quinze dicas que tenho para passar a vocês. No vídeo a seguir, estas dicas estão explicadas de maneira um pouco mais aprofundada.

video

DICAS PARA VOTAR EM 2014

(Parte 2)

 

Dando continuidade ao trabalho sobre como votar em 2014, eu (Lúcio Big) apresento as oito últimas dicas que criei para ajudar os eleitores que ainda têm dúvidas de como se deve votar. É claro que eu não sou o dono da verdade, mas considerar as dicas pode abrir novas possibilidades para você.

De uma maneira sucinta as apresento logo abaixo e espero estar contribuindo para que tenhamos eleitores menos alienados.

8ª Dica - Votar em Branco ou Anular o Voto?

Tanto uma ação quanto a outra invalidam EXCLUSIVAMENTE o seu voto. E isso quer dizer que você abre mão de escolher quem irá lhe representar ou quem irá governar o seu estado e o seu país. Ou seja, você estará passando uma procuração para que pessoas que você nunca viu escolham inclusive, o político que governará o país.

video

9ª Dica - Devo Confiar nas Urnas Eletrônicas?

Definitivamente NÃO.

Elas são manipuláveis e muitos já comprovaram isso. Entretanto, deixar de votar ou invalidar o seu voto não vai contribuir em nada para melhorar a nossa política. Apesar das manipulações de resultados, não devemos considerar plausível que os votos de 142 milhões de eleitores serão alterados. Por isso sugiro que faça a sua parte – VOTE. 
E vamos torcer para que a urna que estivermos usando não tenha sido adulterada.

10ª Dica - Artistas Famosos. Posso Votar Neles?

Ser artista famoso não é credencial para ser bom político. Portanto, independente de ser famoso ou não, siga as dicas 6 e 7 e tenha plena consciência de que aquele famoso pode ser um bom gestor público.

11ª Dica - Candidato ou Partido Político?

Mesmo quando você vota em um candidato, devido inclusive ao Quociente Eleitoral, você estará fortalecendo o partido ou coligação. Eu costumo dizer que este maldito Quociente Eleitoral é um sistema antidemocrático e diante disso, sob o meu ponto de vista, votar em um candidato que tenha personalidade e “pulso firme” é invariavelmente melhor que votar em partido político.


video


12ª Dica - Reeleição

Reeleger alguém é dizer que aceita tudo o que o este tenha feito em mandatos anteriores. Algumas pessoas radicalizam dizendo que ninguém deva ser reeleito. Eu sugiro que você não reeleja ninguém que já seja político há oito anos, pelo menos. Reeleições infinitas transformam políticos em profissionais da política e isso é muito ruim para a nossa democracia. Cria-se um ciclo vicioso que muitas vezes se transformam em quadrilhas sedentas por dinheiro público. Renovar deve ser a palavra de ordem.

13ª Dica - As Eleições Chegaram ao Fim. O que Fazer?

Ser cidadão é cumprir algumas etapas e votar é apenas uma delas. Ainda há tarefas a serem cumpridas. Fiscalizar os eleitos é a maneira mais clara de dizer à classe política de que a sociedade quer saber quanto e principalmente COMO está sendo gasto o dinheiro público. Portanto, as eleições terminam, mas a sua responsabilidade como cidadão apenas começa. Se não souber como fiscalizar os Senhores de Paletó e Gravata, entre para a 

A gente te ajuda!

14ª Dica - Existe Alguma “Lista Negra” de Políticos?

O TCU disponibilizou uma lista de gestores públicos que NÃO tiveram suas prestações de conta aprovadas. Se estes tentarem ingressar na política, NÃO VOTE NELES! Não me parecem pessoas adequadas a gerirem o dinheiro público.

15ª Dica - Fiscalizar? Como Faço Isso?

Fiscalizar os gestores públicos é uma das mais nobres tarefas de um cidadão. Desde o ano passado nós contamos com uma Aliada Quase Perfeita, a LAI – Lei de Acesso à Informação

Com base nesta lei, você tem o poder de exigir de QUALQUER gestor público informações, dados e até mesmo cópia de documentos (inclusive notas fiscais) de tudo aquilo quer for público. Para isso basta redigir um documento simples e protocolá-lo no órgão que detém esta informação. Há também a possibilidade de fazer esta mesma solicitação diretamente no portal da transparência do órgão, caso esteja disponível. 

Este tipo de solicitação é ainda mais simples, pois você nem precisa sair de casa. Como opção também, você pode contar com a OPS.

O MPF – Ministério Público Federal disponibilizou uma cartilha que acredito ser útil para que melhoremos ainda mais as nossas escolhas políticas. Aqui está!

Pois bem, gente. Estas foram as oito dicas que somadas as outras sete perfazem o total de quinze dicas que criei para ajudá-lo nestas eleições. É claro que nem todos irão segui-las em sua totalidade e até mesmo, muitos não concordarão com todas elas. 

Independente disso, façamos diferente nas eleições de outubro próximo. Mesmo que tudo continue ruim, não desanime. Não se muda uma realidade tenebrosa de quinhentos anos em um único pleito. Há vários degraus nesta escada que ainda deveremos subir até chegar ao topo.
Assista ao vídeo abaixo e divulgue-o.

video