sexta-feira, 20 de março de 2015

CHEGOU O DIA DO CAÇADOR,... AÉCIO NEVES DENUNCIADO... MERECE O TROFÉU DE,....................................................." O CAÇADOR DE ENCRENCAS "



video

FCO.LAMBERTO FONTES
JORNALISMO INTERATIVO DE ARAXÁ / MG / BR
  1 blog - 1 página - Twitter, + de 40 grupos no Face, + de 496 blogs e comunidades no google+, + de 376 conexões LinkedIn  -  369.031 visualizações / 27 meses




20 DE MARÇO DE 2015




Deputados do PT
entregam na PGR as
provas para inclusão de
Aécio Neves na operação Lava Jato
O deputado estadual Rogério Correia e os deputados federais Padre João e Adelmo Leão estiveram ontem, dia 19 de março, na sede da Procuradoria-Geral da República, em Brasília, onde foram recebidos no gabinete do Procurador-Geral Rodrigo Janot pelo Secretário de Relações Institucionais Dr. Peterson de Paula Pereira.
Na ocasião, os parlamentares apresentaram uma representação solicitando a inclusão do senador Aécio Neves nas investigações da Operação Lava Jato.
De acordo com os parlamentares, já existem “provas suficientes” para que se abra um inquérito em nome do senador tucano, em especial após a divulgação do vídeo em que o doleiro Alberto Yousseff revela ter tomado conhecimento de um esquema de distribuição de propinas pagas pela empresa Bauruense por contratos em Furnas.
Segundo o delator, o ex-deputado federal pelo PP José Janene teria afirmado a colegas correligionários que estes valores eram repassados ao seu próprio partido e ao PSDB, na figura de Aécio Neves, que dividiam a diretoria da estatal Furnas.
O esquema ao qual o doleiro se refere remonta ao caso Lista de Furnas. A lista, já comprovada autêntica por um laudo do Instituto Nacional de Criminalística da Polícia Federal, traz o nome de 156 políticos, entre tucanos e aliados, que teriam recebido dinheiro publico através de um esquema de caixa dois nas eleições de 2002. Sozinho, Aécio Neves teria sido beneficiário de R$ 5,5 milhões, quantia repassada em uma única parcela.
No total, o esquema teria desviado R$ 39, 9 milhões.
Em 2012, a utilização de caixa 2 em Furnas já havia sido alvo de uma denúncia realizada pela Dra. Andrea Bayão, então procuradora do Ministério Público Federal do Rio de Janeiro.
No documento, a procuradora pede abertura de inquérito contra o então diretor de Furnas Dimas Toledo Fabiano, indicado ao cargo por Aécio Neves, e contra diversas empresas que fariam parte do esquema, dentre as quais a Bauruense, citada agora no depoimento de Yousseff.
Espera-se agora que a PGR, de porte de toda esta documentação e provas, dê encaminhamento à denúncia apresentada ontem pelos deputados do PT.
O deputado estadual Rogério Correia disse que este é o momento certo para que o Brasil possa “passar a limpo uma parte de sua história”. Ele questionou o fato de o procurador Janot ter arquivado a denúncia contra Aécio Neves por falta de provas.
“Nós trouxemos muitas provas, inclusive a Lista de Furnas original autenticada pela Polícia Federal, comprovando que Aécio Neves recebeu R$ 5,5 milhões da estatal”, afirmou.
Em nota, o senador tucano se limitou a desqualificar a robusta denúncia dos parlamentares petistas, sem responder pelos seus atos, afirmando levianamente mais uma vez que a lista seria falsa.  
NO LINK ABAIXO,