sábado, 24 de janeiro de 2015

UMA DAS HERANÇAS CRIMINOSAS CONTRA O POVO MINEIRO, DEIXADAS POR AÉCIO NEVES E ANTONIO ANASTASIA...

FCO.LAMBERTO FONTES
Trabalha em JORNALISMO INTERATIVO
 em ARAXÁ / MG.
1 blog - 1 página - Twitter, + de 30 grupos no Face, + de 450 comunidades no google+, + de 370 conexões LinkedIn  -   342.932 visualizações/25 meses -

MINAS
24 DE JANEIRO DE 2015 ÀS 12:55

PIMENTEL LANÇA FORÇA-TAREFA
PARA ENFRENTAR CRISE DA ÁGUA
Governador anunciou uma série de ações do Estado para tentar contornar a crise de abastecimento de água em Minas Gerais, que afeta principalmente a Região Metropolitana de Belo Horizonte; ações envolvem campanha para redução do consumo, reativação de projetos que estavam paralisados, como construção de pequenas barragens em bacias hidrográficas no interior do Estado; "Todos os sinais apontam para a necessidade de uma ação muito efetiva do Governo Estadual, com o apoio da população e com o apoio da imprensa, para divulgar as medidas para que possamos reduzir o consumo e conseguirmos atravessar o ano sem desabastecimento", disse Fernando Pimentel

Minas 247 - O governador Fernando Pimentel anunciou, nesta sexta-feira (23/01), uma série de ações do Governo do Estado para tentar contornar a crise de abastecimento de água em Minas Gerais, que afeta principalmente a Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH).
Entre elas, está a criação de uma força-tarefa entre secretários estaduais e presidentes de empresas e autarquias para a elaboração e execução de projetos destinados a minimizar o problema. Na próxima semana, Pimentel também irá se reunir com a presidente Dilma Rousseff em busca de apoio nas ações desenvolvidas pelo Estado.
Além das ações emergenciais anunciadas pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), como a campanha para redução de 30% no consumo de água pela população da região metropolitana da capital e as intervenções visando a diminuição do desperdício da água disponibilizada pela companhia, o governador também destacou as ações de curto, médio e longo prazo que serão desenvolvidas.
“Todos os sinais apontam para a necessidade de uma ação muito efetiva do Governo Estadual, com o apoio da população e com o apoio da imprensa, para divulgar as medidas para que possamos reduzir o consumo e conseguirmos atravessar o ano sem desabastecimento”, afirmou Pimentel durante coletiva de imprensa no Palácio Tiradentes.
A força-tarefa irá centralizar e coordenar todos os esforços do Governo do Estado nessa direção.
“Nós já identificamos uma série de projetos e programas que estavam dispersos na administração estadual e até federal, como projetos de construção de pequenas barragens em bacias hidrográficas no interior do Estado, no Norte de Minas, e que não faziam parte de um esforço, de um planejamento integrado”, disse o governador.
Medidas
Ações publicitárias sobre a importância do consumo responsável também serão veiculadas a partir da próxima semana. Ainda segundo Pimentel, o Estado está se esforçando para conseguir autorização do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) para iniciar uma política de sobretaxa na conta de água para iniciar a redução de consumo com mais rapidez.
Já a médio prazo estão previstas a realização de obras para alterar o ponto de captação de água do rio Paraopeba no sentido de reforçar o reservatório do rio Manso – principais responsáveis pelo abastecimento da capital e região metropolitana.
O secretário de Estado de Transportes e Obras Públicas, Murilo Valadares, informou que está sendo analisada a viabilidade jurídica para utilização da parceria público-privada no rio Manso para ampliar em quatro metros cúbicos por segundo a captação de água no rio Paraopeba, com a implantação de uma adutora com quatro quilômetros de extensão.
“Vamos fazer todo o esforço esse ano porque pode acontecer de outubro não chover. Então, nosso esforço, quatro metros cúbicos, resolve muita coisa em Belo Horizonte a curto prazo.
A médio prazo, estamos olhando para o rio Taquaraçu, que é mais importante que o rio Jaboticatubas. Estamos olhando a possibilidade de fazer uma barragem no rio das Velhas e também tem outra captação no rio Paraopeba de mais um metro cúbico para Serra Azul”, explicou o secretário.
A longo prazo, o governo estadual planeja reforçar a captação de água no rio das Velhas com a construção de reservatórios e estudos para captação na bacia do rio Jaboticatubas.
Ainda durante a coletiva, Pimentel lamentou o atraso nas ações desenvolvidas pelo governo anterior para prevenir a falta de água no Estado.
“A inclinação da curva do nível dos reservatórios do sistema Paraopeba, que abastece a região metropolitana, indicava a necessidade de algum tipo de medida de contenção de consumo.
Nada foi feito e, hoje, nós temos que enfrentar essa situação com mais empenho.
Essa é uma questão grave que afeta o Estado de Minas Gerais como um todo e nós vamos precisar muito da colaboração da população”, afirmou.
LEIA TAMBÉM SOBRE A CAUSA DESTA SITUAÇÃO:
  video